A tradutora

 

Alexia Klein

ALEXIA KLEIN

 

Eu nasci e me criei no Brasil, mas foi nos Estados Unidos, especificamente no Brooklyn, em Nova Iorque, que o autismo entrou em minha vida. Em 2006, ano em que me mudei para cá, nasceu meu primeiro filho, o Asher.

Asher não se comunica pela fala. Ele é o que os especialistas chamariam de “autista não verbal”. Desde o início de 2008, quando ele teve seu diagnóstico, até aqui, todos nós percorremos um longo caminho que acabou me levando a tornar-me tradutora e deixar para trás a minha formação de farmacêutica. Este blogue, mesmo que não pareça, é portanto uma convergência de emoções, interesses, anos de leituras, auto-instrução e escolhas de vida que revolvem em torno do autismo. Sobretudo, de um desejo de compreender melhor e criar um ambiente confortável e acolhedor para o Asher.

Este blogue é, antes de tudo, para ele.

Alexia Klein

alexiaklein.org

Anúncios

23 respostas para A tradutora

  1. Alexia, parabéns pela sua iniciativa! Estou adorando o blog. Sentia muita falta de material traduzido, com qualidade, específico sobre autismo e/ou TEA. Abs sinceros!

    Curtido por 1 pessoa

    • alexiamkg disse:

      Que bom que está gostando, Andrea! Essa era uma vontade antiga minha, mas só tomou forma mesmo depois que passei a me envolver com com a comunidade dos autistas adultos daqui.
      Passei lá no transversos e, mesmo que a olhada tenha sido ligeira, já gostei do que vi e já curti blog no facebook. Daqui por diante estarei acompanhando vocês também!

      Curtido por 1 pessoa

    • alexiamkg disse:

      Oi Andréa, já passaram-se meses da sua mensagem, mas infelizmente só a vi hoje. Claro que podia citar o blog na sua publicação. Pena eu não ter visto antes…

      Curtido por 1 pessoa

  2. Beatriz disse:

    Alexia. Conheci seu blog hoje. Sou mãe de um menino lindo de quase 4 anos e autista. Também sou farmacêutica por formação e tradutora por opção. Foi ótimo encontrar tanto material de qualidade por aqui. Abraços

    Curtido por 1 pessoa

  3. Ana Leite disse:

    Alexia, pelo tipo de licença que vc usa, Creative Commons, sei que posso usar os textos em meu site com as devidas referências, mas queria entrar em contato com vc não só para parabenizar, mas para saber a possibilidade de futura conversa. Tenho um site de reabilitação no Brasil (www.reab.me) e uma leitora me indicou seu blog. Abraço

    Curtido por 1 pessoa

  4. janajamarino disse:

    Alexia, gostaria de contactá-la por outro meio. Poderia me enviar um e-mail? janajamarino@gmail.com

    Curtido por 1 pessoa

  5. Josefa disse:

    Oi, conheci seu e-mail ontem, desde então não consigo parar de ter, é né sou de muita leitura kkkkkk, muito obrigada pela sua disponibilidade de traduzir tantos textos, e de ótima qualidade.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Josefa disse:

    Desculpe e-mail não, blog.

    Curtir

  7. ricardo doninelli disse:

    Oi, Alexia. Parabéns pelo seu blog. Recém mesmo o descobri. Busco informações e inspirações para cuidar de meu filho, diagnosticado com transtorno de Asperger. Vou acompanhar suas postagens.

    Curtir

  8. Stephan disse:

    Oi Alexia.
    Parabéns pela iniciativa! Seu blog é fantástico, trazendo material de qualidade e novos paradigmas para a língua portuguesa.
    Sou psiquiatra, trabalho com oficina de música com crianças autistas e tenho situado cada vez mais meu trabalho sob o paradigma da neurodiversidade. Penso que o conceito tem uma grande potência, no sentido de produzir transformações práticas, contribuindo, inclusive, para a redução do estigma e preconceito, além de valorizar a diferença e diversidade (ou biodiversidade) humana.
    Você faz parte de algum movimento específico relacionado à Neurodiversidade?
    Abraços,
    Stephan

    Curtido por 1 pessoa

    • alexiamkg disse:

      Oi Stephan,
      Obrigada! E parabens a você também por estar aberto a aprender mais sobre autismo com os próprios autistas!
      Eu não sou filiada a nenhuma organização, mas acompanho o trabalho da ASAN aqui nos Estados Unidos e da Abraça aí no Brasil. Elas são organizações exemplares e compostas por autistas.
      Abraços!

      Curtir

  9. Silvana Amorim disse:

    Boa Tarde, Alexia!
    Muito boas suas traduções, aprendi muito sobre autismo com elas. O autismo entrou na minha na forma do meu filho, hoje com sete anos. Apesar dele ser verbal, tenho muito interesse em conhecer mais sobre o método RPM para poder ajudar outras crianças não verbais, pois aqui no Brasil nada se fala sobre ele, na verdade é um desconhecimento geral, até mesmo por parte de profissionais conceituados da área. A primeira vez que ouvir falar sobre o método foi em uma tradução que você fez sobre Ido Kedar e a partir daí tenho buscado informações sobre ele em sites nacionais, sem muito sucesso. Tenho procurado assistir vídeos do Youtube, mas meu inglês não é muito bom. Rsss. Caso você tenha alguma tradução acerca dos fundamentos do método e puder compartilhar, eu ficaria muito grata!
    Abraços!

    Curtir

  10. Bom dia Alexia. Ansioso por novos textos…

    Curtido por 1 pessoa

    • alexiamkg disse:

      Oi Marcelo!
      O blog está parado mesmo. É a falta de tempo.
      Mas saiba que comentários como este me dão motivação para retomar. Vou providenciar textos novos para breve!

      Curtir

  11. Terezinha disse:

    Alexia adoro seu blog! Tambem moro nos EUA e tenho uma menininha autista de 9 anos. Voce teria um email de contato? Adoraria poder falar contigo um pouco mais para troca de experiencias. Abracos, Terezinha

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s